Melhores Livros Portugueses
Melhores Livros Portugueses

Livros portugueses que
tens mesmo de ler

Escolher entre as inúmeras obras de autores portugueses não é tarefa fácil. Entre nomes consagrados dos clássicos como Luís de Camões e Gil Vicente aos mais contemporâneos como Fernando Pessoa e Eça de Queiroz, existem imensas opções de bons livros dos nossos escritores. Deste lado do Atlântico, a literatura portuguesa é bastante rica em obras na dramaturgia, poesia e prosa, sempre com um cunho e registo próprio lusitano. Quem diria que já foi há cerca de 500 anos, em 1487, que se imprimiu o primeiro livro em terras portuguesas? E que cerca de 10 anos depois foi impresso o primeiro livro escrito em português? Com tanta opção possível, quisemos facilitar-te a escolha e, por isso, selecionámos 5 livros de autores portugueses que não podem faltar na tua lista de leitura.

Todos estes livros

e muito mais em Worten.pt

Sabe mais


“O Ano da Morte de Ricardo Reis”, de José Saramago

A obra de José Saramago é tão única que lhe valeu o Prémio Nobel de Literatura, em 1988. Foi o único autor da literatura portuguesa que foi consagrado com o prémio nesta área até hoje. O livro foi publicado em 1984 e conta a história do famoso heterónimo de Fernando Pessoa, Ricardo Reis, que está de regresso a Lisboa, depois de um período de auto-exílio no Brasil quando confrontado com a morte do seu criador. Aqui uma das especialidades de Saramago entra em ação e o lirismo do autor divide espaço com o romance histórico, fazendo uma viagem pela história de Portugal e envolvendo o leitor do início ao fim ao mesmo tempo que nos faz questionar tudo o que nos rodeia.

Ver mais


“Os Lusíadas”, de Luís de Camões

Não podia faltar neste top de livros um dos clássicos portugueses mais conhecidos de sempre. A obra de poesia épica do escritor português Luís Vaz de Camões foi a primeira epopeia portuguesa publicada em versão impressa. Publicado em 1572, cerca de 70 anos depois da viagem de Vasco da Gama para a Índia, canta a aventura das Descobertas e entrelaça os mitos, as figuras e os momentos históricos de Portugal. Inês de Castro e D. Afonso Henriques são alguns dos nomes que compõem o quadro de exaltação dos portugueses. Constituída por dez cantos, 1102 estrofes e 8816 versos, foi escrita inicialmente em homenagem ao rei D. Sebastião, mas ao longo dos anos tornou-se numa espécie de cartão de visita da cultura lusitana.

Ver mais

“Obra Poética II”, de Florbela Espanca

Florbela d'Alma da Conceição Espanca foi uma poetisa portuguesa que estava, sem dúvida, à frente do seu tempo. Nascida em 1984, manteve ao longo da sua curta vida a prática habitual de escrever, quer fosse poesia, contos, o seu diário ou cartas. Apesar de ter morrido aos 36 anos, a vida da autora foi preenchida por tumultos e sofrimentos íntimos que foram transformados em poesia carregada de erotização e feminilidade. Este livro reúne um conjunto de poemas da poetisa que chegou a influenciar outros grandes poetas como Fernando Pessoa. Inclui a produção literária de “Trocando Olhares”, o grande caderno manuscrito que engloba 145 textos da produção poética (e três contos) de Florbela Espanca nos anos de 1915, 1916 e 1917, em parte publicada pela autora em periódicos e em parte inédita à data da sua morte; “Reliquiae”, um conjunto de 28 poemas, coligidos postumamente e publicados pela primeira vez em 1931; e alguns poemas esparsos.

Ver mais


“Os Cus de Judas”, de António Lobo Antunes

António Lobo Antunes é considerado um dos maiores escritores portugueses vivos e um dos nomes mais promissores das nomeações portuguesas ao Nobel da Literatura. Já para Marcelo Rebelo de Sousa, o autor está acima do Nobel. O médico psiquiatra foi convocado pelo exército português para servir na guerra em Angola, onde durante dois anos presenciou horrores, que descreve em formato de testemunho no seu segundo romance “Os cus de Judas” (1979). António Lobo Antunes classifica a guerra de Angola como uma “dolorosa aprendizagem da agonia”. Além de um retrato do conflito e independência dos angolanos, a obra é também uma história verídica e contada na primeira pessoa.

Ver mais

“A Lua de Joana”, de Maria Teresa Maia Gonzalez

Por fim, trazemos uma sugestão mais juvenil, mas não só. Apesar de ser um livro português para jovens, qualquer pessoa pode ler esta obra de Maria Teresa Gonzalez, uma vez que aborda temas como a toxicodependência através da depressão, mas também fala sobre outros problemas da adolescência. O livro com quase 30 anos é um diário da Joana, que, em forma de carta, escreve para a sua melhor amiga Marta, que perdeu recentemente devido a uma overdose. Com mais de 360 mil exemplares vendidos nas suas inúmeras edições, com traduções em seis países, é uma referência incontornável na literatura juvenil portuguesa e mundial. Maria Teresa Maia Gonzalez é a única escritora portuguesa nomeada para a edição de 2016 do Prémio Literário Astrid Lindgren Memorial Award (ALMA), considerado o maior Prémio na área da Literatura para a Infância e Juventude e de Promoção da Leitura.

Ver mais


Comparar Produtos

    Comparar Produtos

    ×
    Utilização de cookies:Ao continuar a sua navegação está a consentir a utilização de cookies que possibilitam a apresentação de serviços e ofertas adaptadas aos seus interesses.Pode alterar as suas definições de cookies a qualquer altura.Saiba mais aqui.