Livros
Cultura

yuval noah harari

Yuval Noah Harari:
o Historiador Best-Seller

“Sapiens – História Breve da Humanidade”, “Homo Deus – História Breve do Amanhã” e “21 Lições para o Século XXI”, são os três livros responsáveis pela popularidade de Yuval Noah Harari. Foi em 2015 que o primeiro livro de Harari chegou a Portugal, e desde aí que tem sido um sucesso de vendas. Aliás, “Sapiens” tornou-se de tal forma popular que conta com Barack Obama, Mark Zuckerberg ou Bill Gates na sua lista de fãs, o que ajudou a torná-lo num best-seller em vários países. Em julho de 2018 foi anunciado que vai ser adaptado para cinema por Ridley Scott e Asif Kapadia em forma de documentário, segundo o Hollywood Reporter . Em 2017, chegou às livrarias portuguesas “Homo Deus” e o sucesso do primeiro livro repetiu-se. As suas palestras passam a ser publicadas no seu canal de Youtube e é convidado para várias TED Talks. O seu mais recente livro “21 Lições para o Século XXI” repete o êxito dos seus antecessores. Mas quem é Yuval Noah Harari?

VER ARTIGOS

Como “Sapiens” e “Homo Deus” deram outro interesse à história

Nascido em Israel em 1976, Harari especializou-se em história medieval e militar, durante os seus estudos na Universidade de Jerusalém. Completou o seu doutoramento em Oxford e é responsável pela publicação de vários livros e artigos, sendo conhecido pela sua especialização atual: história mundial e processos macro-históricos. Conquistou o público com a sua linguagem clara, coerente e direta, sem esquecer a confiança e convicção com que defende as suas ideias. A evolução humana, a elevada utilização da tecnologia ou a forma como nos relacionamos com os outros são algumas das ideias presentes nos seus livros.

Nas suas influências está até um clássico da literatura. “Admirável Mundo Novo” de Aldous Huxley é citado por Harari como “o livro mais profético do século XX”. Nele, está presente a ideia de que num futuro distópico os bebés serão moldados geneticamente, criando castas biológicas onde se podem encontrar elites genéticas e massas desprezadas. Esta é uma das crenças de Yuval Noah Harari que pode ler em “Homo Deus”.

Livro Sapiens – História Breve da Humanidade

Publicado primeiro em hebreu em 2011, apenas chegou aos mercados estrangeiros em 2014. O livro situa-se nas crenças de Harari sobre a história humana, tendo como base geral a ciência natural e em particular, a biologia evolucionária. O autor divide a história dos Homo Sapiens em quatro partes: a revolução cognitiva, a revolução agrícola, a unificação da humanidade e a revolução científica. O argumento principal de Harari em “Sapiens” é que o Homo Sapiens passou a dominar o mundo porque é o único animal que consegue cooperar em largos números. Esta capacidade advém da capacidade única de acreditar em algo que apenas está presente na imaginação e assente em ficção como é o caso de deuses, dinheiro e igualdade e liberdade.

VER ARTIGO

Livro Homo Deus – História Breve do Amanhã

Em “Homo Deus”, Harari reconta a história enquanto descreve a experiência humana individual e os problemas éticos em relação a certos eventos. Aqui, o autor procura perceber quais as diferentes possibilidades para o futuro do Homo Sapiens. A premissa deste livro está ligada à possibilidade de algures durante o século XXI, a humanidade irá fazer várias tentativas para conseguir atingir a felicidade, imortalidade e ganhar poderes semelhantes aos de Deus. Ao longo de “Homo Deus”, Harari especula as várias formas de como esta ambição se irá realizar oferecendo exemplos do passado e do presente. É neste livro que aparece o conceito pelo qual Harari ficou conhecido: o dataísmo. Isto é, Harari defende que no futuro a sociedade irá ser organizada em torno do que nos dizem os algoritmos das redes sociais e dos motores de busca. Estes organismos possuem bastante informação sobre os humanos o que poderá levar as autoridades a tomar decisões com base nesses números.

VER ARTIGO

Livro 21 Lições para o Século XXI

É nas 400 páginas do último livro de Yuval Noah Harari que finalmente os problemas do presente são debatidos. Em “21 Lições para o Século XXI” são referidos vários problemas que afetam todos os leitores: o desafio tecnológico, o desafio político, o desespero e a esperança, a verdade e a resiliência. A automatização e o aparecimento de novas tecnologias, de acordo com a tese de Harari, podem ser responsáveis pelo desemprego devido à aprendizagem automática e à robótica. A volatilidade de empregos vai dificultar a garantia de direitos dos trabalhadores e por isso, a criação de sindicatos que garantem melhores condições laborais. No que toca ao desafio político, o autor centra-se essencialmente no crescimento dos nacionalismos. Harari defende que a onda nacionalista que tem atingido vários países do mundo, tem como causa principal a tecnologia que criou um conjunto de ameaças existenciais que nenhum país vai conseguir resolver sem apoio dos outros. Já para concluir o capítulo dedicado ao desespero e à esperança, o autor refere como o terrorismo nuclear, o ciberterrorismo e o bioterrorismo podem representar uma ameaça que deve exigir uma reação drástica por parte dos governos. No que toca à questão da verdade, Harari compara a religião à problemática atual das “fake news”.

VER ARTIGO

Produtos Comparados

Limpar Tudo

×
Utilização de cookies:Ao continuar a sua navegação está a consentir a utilização de cookies que possibilitam a apresentação de serviços e ofertas adaptadas aos seus interesses.Pode alterar as suas definições de cookies a qualquer altura.Saiba mais aqui.