melhores livros 2018

Os 15 melhores livros de 2018

Com o ano a terminar, urge relembrar quais os livros que marcaram 2018. Se é daqueles que passa o dia a pensar o que vai acontecer nos próximos capítulos do livro que está a ler, saiba desde já que não está sozinho. Com uma grande e boa variedade de livros editados em 2018, pode encontrar vários títulos que o vão fazer revirar as páginas do livro desenfreadamente. Encontre os livros que quer ler quando está a ter um dia mau, descubra títulos que vão estimular a sua mente e conheça ainda os livros que o vão fazer querer partilhar a história com os seus amigos.

VER ARTIGOS

1. “It – A Coisa” de Stephen King

Lentamente, os títulos mais importantes de Stephen King começam a ser editados em português. Para os fãs do autor que anseiam com a chegada de mais títulos, este ano foi a vez do clássico “IT – A Coisa”. Dividido em duas partes, a história centra-se num grupo de amigos de Derry, no Maine que no passado tiveram que enfrentar algo maléfico em crianças: a Coisa. Vinte e oito anos depois, a promessa que fizeram em crianças ordena que voltem à cidade onde cresceram para, mais uma vez, enfrentar o terror de a Coisa.

VER ARTIGO

2. “O Tatuador de Auschwitz” de Heather Morris

Baseado numa história real, o livro saiu em fevereiro e permaneceu no top dos mais vendidos em 2018. Heather Morris inspira-se na história de Ludwig Eisenberg, um judeu checoslovaco responsável pelas tatuagens dos prisioneiros em Auschwitz. Lá, conhece o amor da sua vida, Gita Fuhrmannova, com quem iria partilhar o resto do seu tempo no campo de concentração polaco. Escondendo a história de amor do seu próprio filho, só em 2003, após a morte de Gita, Ludwig decidiu partilhar a sua vivência. O resultado foi uma obra em que o horror anda de mãos dadas com a amor.

VER ARTIGO

3. “12 Regras para a Vida” de Jordan B. Peterson

Depois de publicar na rede social Quora, as principais regras para uma vida feliz, o psicólogo canadiano Jordan B. Peterson decidiu aprofundar a sua análise, surgindo assim o livro “12 Regras para a Vida”. Através de uma forma simples e fundamentada, o autor explica como cada pessoa pode melhorar a sua vida através de uma luta contra o caos da sociedade. As 12 regras sugeridas por Jordan Peterson, oferecem assim um olhar crítico sobre a vida e o mundo ao seu redor.

VER ARTIGO

4. “Estar Vivo Aleija” de Ricardo Araújo Pereira

“Estar Vivo Aleija” é a compilação de crónicas que Ricardo Araújo Pereira escreveu para o jornal “A Folha de São Paulo” onde mostra um outro lado do humorista, pouco conhecido dos portugueses. Dando a conhecer o seu lado mais introspetivo, Ricardo Araújo Pereira comenta e crítica ainda vários problemas desde o império dos telemóveis às redes sociais, ao palhaço de Kierkegaard e a Cristiano Ronaldo, podemos contar com a perspetiva do humorista sobre vários assuntos que o atormentam.

VER ARTIGO

5. “Cada Suspiro Teu” de Nicholas Sparks

É o 21º romance de Nicholas Sparks que os fãs do autor não vão querer largar. Inspirado por uma história real, Nicholas Sparks recria na narrativa o surgimento do amor entre Tru Walls, um guia de safaris no Zimbabué e Hope Anderson, enfermeira na Carolina do Norte. “Cada Suspiro Teu” é a história de um encontro profundamente marcante que atinge as duas personagens e estabelece uma ligação entre as elas que transcende o tempo, os continentes e até o destino.

VER ARTIGO

6. “21 Lições para o Século XXI” de Yuval Noah Harari

A terceira parte da trilogia iniciada em “Sapiens - De Animais a Deuses, Uma Breve História da Humanidade”, a qual se seguiu “Homo Deus - Uma História Breve do Amanhã” fica concluída com o lançamento de “21 Lições para o Século XXI”. Esta compilação de reflexões do historiador israelita é considerada a sua obra mais provocante. O livro está dividido em cinco partes (O Desafio Tecnológico, o Desafio da Política, Desespero e Esperança, Verdade e Resiliência) com questões dedicadas aos desafios que atormentam o século XXI.

VER ARTIGO

7. “O meu coração entre dois mundos” de Jojo Moyes

Lou Clark de “Viver depois de ti” e “Viver sem ti” está de volta. O novo romance de Jojo Moyes, segue a personagem, desta vez, do outro lado do Atlântico onde Lou se encontra a trabalhar. O recomeço que esperava, transforma-se numa luta de um coração dividido por um oceano. Com os milhares de quilómetros que a separam de Sam, o seu namorado, Lou conhece Joshua Ryan, um homem que lhe traz várias recordações do seu passado. Lou terá que reconciliar o seu coração e encontrar a sua verdadeira personalidade.

VER ARTIGO

8. “Sangue e Fogo - A História dos Reis Targaryen” de George R. R. Martin

“Sangue e Fogo” não é só o título do novo livro de George R. R. Martin, mas também a frase utilizada para descrever a casa Targaryen. Apesar de ainda não ser o tão prometido “Os Ventos de Inverno” que continua a história iniciada em “A Guerra dos Tronos”, “Sangue e Fogo” relata de forma mais detalhada os acontecimentos revelados ao longo dos vários capítulos de “A Guerra dos Tronos”. O primeiro volume da história dos senhores dos dragões centra-se nos acontecimentos de a Dança dos Dragões, na explicação de Valíria ter-se tornado tão perigosa depois da perdição, qual a origem dos ovos de dragão oferecidos a Daenerys, entre muitas outras questões que os leitores de George R. R. Martin pretendem ver respondidas.

VER ARTIGO

9. “Breves Respostas às Grandes Perguntas” de Stephen Hawking

O último livro do físico Stephen Hawking chegou às livrarias em novembro e fala sobre a existência de Deus e de super-humanos que podem um dia popular o planeta. Isto porque Hawking defende que poderão existir modificações em elementos de ADN que melhoram a memória, a resistência a doenças e oferecem uma maior inteligência e vida mais longa tornando os humanos “normais” em super-humanos. “Breves Respostas às Grandes Perguntas” acabou por ser concluído pelos colegas e familiares de Hawking após a sua morte e responde a grandes questões que atormentavam o físico.

VER ARTIGO

10. “Becoming – A Minha História” de Michele Obama

Para quem sente a falta do casal Obama na Casa Branca, pode contar com a reflexão de Michelle Obama sobre as experiências que a moldaram. Desde a infância no sul de Chicago, passando pela sua carreira e a maternidade, e claro, sem esquecer a sua passagem pelo endereço mais conhecido do mundo, encontre neste livro, que já é o mais vendido do ano, um relato íntimo da antiga Primeira Dama dos Estados Unidos da América.

VER ARTIGO

11. “A Persuasão Feminina” da Meg Wolitzer

Depois de “A Mulher” e “Os Interessantes”, Meg Wolitzer volta a ser publicada em Portugal. Desta vez, “A Persuasão Feminina” fala da história de Greer, uma jovem brilhante que se vê a estudar numa universidade de segunda linha, enquanto que o namorado, Cory, concretiza o sonho de ambos e segue para a Universidade de Yale. Depois de conhecer a carismática feminista Faith Frank, Greer acaba por ganhar novas convicções e adotá-las para a sua vida. Anos mais parte, as convicções de Greer começam a ter repercussões na sua vida.

VER ARTIGO

12. “A Morte do Comendador” de Haruki Murakami

É o primeiro de dois volumes que traz de volta a Portugal Haruki Murakami. “A Morte do Comendador” segue a história de um pintor que à beira do divórcio, muda-se para uma pequena província em Tóquio onde passa a viver sozinho. Na casa nova, a personagem descobre um quadro insólito que o levam a uma sucessão de acontecimentos estranhos e sem explicação aparente. Para quem segue de perto a obra de Murakami, esta é uma obra a não perder.

VER ARTIGO

13. “Sou um Crime – Nascer e Crescer no Apartheid” de Trevor Noah

Considerado um dos melhores livros do ano em 2016 pelo “The New York Times”, só agora chegou a Portugal a história de Trevor Noah, apresentador do The Daily Show. Nascido de um crime, uma vez que em 1984 era ilegal na África do Sul, uma mulher negra ter relações com um homem branco, Trevor nasceu e cresceu com o estigma de ser mulato. Para quem já é fã de Trevor Noah, este livro passa como leitura obrigatória. Mas para quem procura perceber a história, evolução e dores de crescimento associadas ao fim do Apartheid na África do Sul, o relato de Trevor Noah é também imperativo.

14. “Se Esta Rua Falasse” de James Baldwin

Trinta anos após a morte do ativista e escritor James Baldwin, foi publicado este ano o livro “Se Esta Rua Falasse”. Sendo uma das obras mais importantes de um dos maiores nomes da literatura americana e de um dos maiores ativistas dos direitos civis, o livro narra a história de amor de um casal que se vê forçado à separação, depois de uma falsa acusação de violação. “Se Esta Rua Falasse” foi adaptado para cinema por Barry Jenkins, realizador de “Moonlight” e já é um dos possíveis nomeados a Óscar.

15. “A Arte Subtil de Dizer que se F*Da” de Mark Manson

Se é daqueles que já não consegue acreditar que o pensamento positivo é a resposta para uma vida feliz, este livro é para si. Em vez de se preocupar, Mark Manson aconselha a desapegar-se dos problemas e consequentemente, a preocupar-se menos. Em suma, o livro ajuda a saber lidar com o fracasso, reduzindo a importância das adversidades. Para quem está à procura de uma nova perspetiva nos livros de auto-ajuda, pode encontrá-la em “A Arte Subtil de Dizer que se F*da”.

VER ARTIGO

Produtos Comparados

Limpar Tudo

Utilização de cookies:Ao continuar a sua navegação está a consentir a utilização de cookies que possibilitam a apresentação de serviços e ofertas adaptadas aos seus interesses.Pode alterar as suas definições de cookies a qualquer altura.Saiba mais aqui.×