café
café
Foodies
Lifestyle

Melhores Formas
de Tomar Café

Bica ou cimbalino, curto ou cheio, em chávena fria ou escaldada, pingado ou garoto, duplo, abatanado, galão, meia de leite, mazagran, carioca, descafeinado… De acordo com um estudo da Associação Industrial e Comercial do Café, 80% dos portugueses consomem café diariamente e as inúmeras maneiras de como se o pode pedir demonstra o lugar importante que o café ocupa na identidade portuguesa.

Em média, cada português bebe 2,5 chávenas de café por dia, o que corresponde a uma média de consumo nacional de 4,73 kg por pessoa e por ano. E enquanto que no resto da Europa 80% do consumo de café é feito em casa, em Portugal esta tendência inverte-se - 80% do consumo de café em Portugal é feito fora de casa.

Apesar dos portugueses consumirem cada vez mais café, os líderes no seu consumo encontram-se mais a norte da Europa: a Finlândia está em primeiro lugar (11,7 kg), seguida da Noruega (9,4 kg) e Dinamarca (8,5 kg); a completar o top 5 estão a Suécia (8,1 kg) e a Suíça (7,5 kg).

Como Fazer Café

O café mais pedido em balcões por Portugal fora é o expresso tirado na máquina, mas o café pode beber-se de muitas outras maneiras - fora de Portugal, o seu consumo é geralmente feito em café de saco ou de filtro, o que implica quantidade maiores (o tal café “aguado” de que os portugueses se queixam quando viajam).

A verdade é que o café gera reações intensas: dos puristas portugueses que só bebem café “de rua”, àqueles que preferem fazê-lo em casa, à antiga com filtros ou mais rapidamente com máquinas de cápsulas, sem esquecer os fãs do café mais “gourmet”, associado ao movimento slow coffee, apresentamos-te algumas das maneiras mais comuns de fazer café:

French press: conhecida como cafeteira de êmbolo ou prensa francesa, neste tipo de café não há filtros à mistura e é ideal para fazer maiores quantidades (para cinco ou seis pessoas). No caso da prensa francesa, é preciso ter em atenção a moagem - tem de ser média, do tamanho de sal grosso ou migalhas de pão.

Cafeteira italiana: feito na icónica moka, o expresso italiano pode também ser usado para fazer lattes ou cappuccinos. É ideal para pequenas doses de café e para quem não quer usar filtros. A cafeteira tem dois compartimentos e funciona através da pressão do vapor.

Cafeteira de filtro: A típica cafeteira que se vê em filmes americanos é rápida, faz café em grandes quantidades e com um sabor mais suave do que o expresso.

Drip coffee: também apelidado de pour-over, funciona como a cafeteira de filtro, com filtros de cone e uma moagem mais fina, semelhante a açúcar granulado.

Máquina de cápsulas: chegaram há uns anos e para ficar - quase todas as casas têm uma, idem para os escritórios. São fáceis de usar e não tens de comprar café fresco moído.

Tipos de Café

Muitas lendas e mitos estão associados à origem do café, mas tudo indica que esta planta seja nativa da Etiópia e que tenha sido descoberta no século IX. Só no século XV é que se começou a torrar os grãos de café e no século XVI a bebida multiplicou-se por toda a população árabe; passados 150 anos, o café chega à Europa, por via de Veneza e dos comerciantes da Rota das Especiarias.

Em 1616, colonos holandeses plantaram café no Sri Lanka (na altura Ceilão) e em 1696 em Java, na altura ambas sob o domínio holandês. Seguiram-se os franceses, com plantações nas Caraíbas, e os espanhóis, na América Central. A história do café em Portugal inicia-se no século XVIII, durante o reinado de D. João V, quando foi introduzido o famoso grão no Brasil. Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique também vieram a tornar-se grandes produtores de café.

Foodies
Lifestyle

Atualmente, o café é produzido em mais de 50 países e os mais conhecedores sabem que existem duas grandes espécies de grãos de café, a saber:

- Arábica (Coffea arabica): proveniente das montanhas da Etiópia, mas encontra-se em 85% dos países cafeicultores, sendo o continente americano a sua principal região de cultivo. Esta espécie tem 50% menos cafeína, mas possui um maior teor de açúcares.

- Robusta (Coffea canephora): foi primeiramente cultivada em Java, pelos holandeses, sendo hoje encontrada em todos os continentes produtores, predominando na Ásia e em África. Tem uma concentração de cafeína maior e, portanto, sabor mais amargo.

Existe ainda a Libérica (Coffea liberica), ainda que esta expansão tenha muito menos expressão que as outras duas, dado ser cultivada exclusivamente na Guiana Inglesa.

Ao contrário da maioria dos países, que bebem café de grãos 100% Arábica, o café expresso português é geralmente obtido a partir de uma mistura de grãos Arábica e Robusta torrados lentamente. E para além do típico expresso, que outro café bebemos? E quais os equivalentes estrangeiros?

- Cafés: o curto, cheio e duplo são todos variantes do expresso, diferindo apenas nas quantidades. Já o abatanado é um expresso com um bocadinho de água - o americano é o equivalente estrangeiro.

- Cafés com leite: meia de leite (50-50 de café e leite), galão (tem mais leite do que a meia de leite), garoto/pingado (um expresso com um pouco de leite). É nos cafés com leite que as versões estrangeiras se multiplicam - o capuccino é um expresso coroado com espuma de leite, o latte é parecido ao nosso galão mas com mais espuma, o flat white é um café duplo com leite e pouca espuma, o cortado é equivalente ao pingado e o macchiato é café duplo com um pouco de espuma.

Benefícios do Café

A cafeína encontra-se na natureza em cerca de 60 plantas, sendo as mais conhecidas os grãos de café, grãos de cacau, folhas de chá e noz-de-cola (usada originalmente em refrigerantes de cola).

A cafeína é um estimulante do sistema nervoso central e, quando ingerida em quantidades moderadas, tem efeitos positivos, tanto a nível mental como a nível físico. Há estudos que sugerem que consumir cafeína ao longo da vida pode diminuir o risco de doenças neurodegenerativas, como demência, Alzheimer ou Parkinson. A European Food Safety Authority recomenda, como parte de uma dieta equilibrada, até cinco chávenas de café por dia (400mg de cafeína) - segundo o Institute for Scientific Information on Coffee, o consumo de café está ligado à redução de cancro e de doenças hepáticas e de circulação.

Foodies
Lifestyle

Produtos Comparados

Limpar Tudo

Utilização de cookies:Ao continuar a sua navegação está a consentir a utilização de cookies que possibilitam a apresentação de serviços e ofertas adaptadas aos seus interesses.Pode alterar as suas definições de cookies a qualquer altura.Saiba mais aqui.×