Google Pixel 3
Tecnologia
Atualidade

Pixel 3 e XL
em Portugal?

A terceira geração da mais alta gama de smartphones da Google, o Pixel 3, está prestes a chegar ao mercado, naquele que tem sido um dos mais atribulados e caricatos lançamentos de que há memória na indústria, e que poderá resultar num falhanço completo ou numa das mais geniais jogadas de marketing da história. Aguçámos-te a curiosidade? Os rumores estão todos aqui.

Depois do Galaxy Note 9 da Samsung e dos iPhone XS da Apple, segue-se a grande apresentação do smartphone topo de gama de mais uma gigante tecnológica, a Google. Nenhum lançamento mediático é imune às famigeradas revelações (os chamados “leaks”) em órgãos noticiosos ou blogs da especialidade, mas os vindouros Pixel - o 3 e a versão superior 3 XL - têm sido um caso especial de permeabilidade por parte da empresa de Menlo Park, com informações confidenciais a surgirem a um ritmo frenético nas últimas semanas.

Google Pixel 3 Preço e data de lançamento

Ao contrário do que fora previamente confirmado online, a apresentação dos novos smartphones não vai ocorrer a 4 de outubro, mas a 9 do mesmo mês, e a Google está a colocar as fichas todas nesta data, já que vai organizar o evento “Made by Google” não só em Nova Iorque, como também em Paris para os jornalistas europeus, decorrendo ambos em simultâneo. No entanto, se entendermos o conceito de “apresentação” enquanto “revelação de algo previamente oculto”, esse sentido perde-se neste caso, já que nos últimos dois meses vieram a público tantas informações que, a confirmarem-se verdadeiras, farão destes telemóveis as surpresas menos surpreendentes do ano. Curiosamente, uma das únicas informações que não tem escapado é o preço previsto, não havendo previsões fidedignas acerca do mesmo. O Pixel 2 de 64 GB ronda os 600 euros, ao passo que o 2 XL fica a partir dos 700 na versão de 64GB, sendo mais caro na de 128 GB. É possível que os preços dos novos não andem longe destes valores.

Rumores

Tudo começou em maio, com os primeiros leaks a serem revelados pela Bloomberg. No mês seguinte já estavam a surgir renderings online. No entanto, nada disto é surpreendente: quase todos os telemóveis da Google foram revelados na internet antes de tempo porque há sempre alguém a roubar ficheiros CAD e, através de desenhos digitais, a descobrir qual será o aspeto do telemóvel, e o mesmo acontece com outras tecnológicas.

Mas este caso é distinto. Para que se compreenda o quão absurda tem sido a exposição de um projeto que supostamente se quereria coberto pelo véu da confidencialidade, modelos identificados como possíveis protótipos de Pixel 3 já foram vistos em público em elétricos e comboios em Toronto, no Canadá, e foi noticiado que o roubo de um carregamento de telemóveis destinados a programadores levou vários modelos a serem colocados à venda no mercado negro ucraniano por 2.000 dólares a unidade. Como resultado disso, vários sites russos já fizeram reviews (como aqui ou aqui) e já houve até um aparente unboxing de telemóvel que ainda não foi lançado. Todas estas iniciativas expuseram os Pixel 3 e 3 XL até ao mais ínfimo detalhe, desde fotografias, a vídeos e a printscreens com todas as características destes telemóveis.

A proliferação de informação tem sido de tal forma sem precedentes que o mais recente caso de avistamento deu-se quando um condutor da operadora Lyft encontrou outro protótipo no banco de trás da sua viatura, aparentemente esquecido pelo seu portador. O condutor, que tirou fotografias ao aparelho e enviou-as ao site Android Police, reconheceu este smartphone como sendo um Pixel 3 XL com base em todas as fotografias e leaks que já tinha visto online. Neste momento, só não sabe tudo sobre o Pixel 3 quem não quer.

O fantasma do Pixel Ultra, ou, será tudo isto uma farsa?

O ritmo alucinante e anormal a que têm saído todas as informações e leaks e as inúmeras falhas de seguranças evidenciadas por uma empresa do estatuto da Google tem feito alguns dos observadores e jornalistas mais ligados ao universo tech ficar inquietos: serão estas repetidas demonstrações de inabilidade por parte da empresa? Ou estará a Google a fazer de propósito para baixar as expetativas dos consumidores e depois surpreender toda a gente no dia 9 de outubro?

Esta segunda hipótese causa divisão: por um lado, parece quase impossível surgirem tantas informações em tão rápida sucessão - ainda por cima muitas delas, como o vídeo de unboxing, feitas de forma tão profissional e deliberada; por outro, parece altamente improvável, já que só faria sentido para a Google denegrir os seus próprios produtos se tivesse algum truque escondido. É aí que entra o Pixel Ultra.

tecnologia
atualidade

A história do Pixel Ultra começou como um rumor rapidamente desacreditado aquando ao lançamento da segunda geração Pixel, no ano passado. Este seria um projeto secreto de um telemóvel premium da empresa, um passo em frente em termos técnicos e de qualidade. Não se confirmou, mas, no entanto, a Google, mostrando um sentido de humor refinado, fez uma referência a esse boato na apresentação dos telemóveis Pixel 2 e 2 XL. Um ano depois, a teoria de que o Pixel Ultra é um telemóvel real continua viva e tem sido alimentada por este reboliço de informação, com teorias que vão desde a possibilidade de ser um terceiro lançamento - que não é a versão mais barata dos Pixel já planeada - a ser o verdadeiro Pixel 3 XL, sendo o atual modelo um chamariz falso.

A dar força a esta última teoria conspiratória estão as revelações de John Prosser, um youtuber responsável pelo canal Front Page Tech, que lançou um vídeo no qual diz ter sido contactado pela Google para dar permissão à empresa para usar clips nos quais critica os designs do Pixel 3 XL (em particular o Notch) para a apresentação de dia 9 de outubro. Não tendo sido forçado a assinar um acordo de não divulgação, John afirmou também que a empresa tinha contactado outros youtubers com o mesmo propósito, causando estranheza: porque é que a Google haveria de querer usar conteúdos negativos para a sua imagem, ainda por cima no dia do grande lançamento? Será esta a campanha mais elaborada de sempre?

Esta teoria têm sido alimentada por outros casos, como o do anúncio para o Google Assistant, lançado em junho, que mostra a atleta inglesa Katarina Johnson-Thompson a fazer exercícios enquanto fala com um modelo nunca antes visto (e que não se parece nem com os modelos revelados, nem com os modelos prévios), passando pelo anúncio ao jogo Madden 19, onde o rapper Lil Dicky parece segurar um modelo Pixel também inédito. É verdade que ambas as ocorrências já foram desmentidas, mas esta louca teoria chegou mesmo à imprensa da especialidade, onde uns desacreditaram-na, e outros não “meteram as mãos no fogo” mas quiseram acreditar nela.

Seja como for, a verdade é que se as revelações sobre o telemóvel fizeram reduzir o interesse sobre o seu lançamento, este voltou a disparar com o surgimento de uma boa teoria da conspiração. O timing destes rumores também não parece ser inocente, pois calhou exatamente na semana em que a Apple revelou os novos iPhone. A título de exemplo, o dia 14 de setembro foi uma sexta-feira, dia da semana que a Apple escolhe sempre para receber reservas depois de fazer as suas apresentações. Foi nesse dia que a Google lançou mais um teaser aos Pixel. A anticipação criada pelo mistério fez com que o tráfego à volta dos Pixel 3 fossem maior que o do lançamento dos iPhone novos. Os leaks todos que têm saído apontam para que estes dois sejam mesmo os modelos a sair e não o suposto Pixel Ultra - mais para mais, criar um telemóvel de raiz só para servir de isco é uma ideia tão mirabolante quanto dispendiosa - mas afirmar qualquer coisa com certezas nesta fase do campeonato é tão presunçoso quanto arriscado.

Especificações: o que se pode esperar então dos Pixel 3 e 3 XL?

São várias as novidades que distinguem a nova geração desta gama da Google da anterior. Para começar, os Pixel 2 e 2 XL eram virtualmente idênticos entre si, mudando apenas as dimensões, mas os Pixel 3 e 3 XL deverão ter designs distintos.

Aquela que promete ser uma das mais polarizantes decisões da Google foi a de colocar o tão badalado Notch no topo do Pixel 3 XL, cujo tamanho tem sido amplamente criticado online. Para além de figurar em todos os “leaks”, o Notch vai ser uma realidade - se não agora, então em breve - porque o mais recente sistema operativo da empresa, o Android Pie, prevê essa funcionalidade, como descobriram alguns jornalistas ao explorar as linhas de código da versão beta. Já o Pixel 3 vai manter-se sem esta característica, sendo o seu formato semelhante ao do Pixel 2 XL mas mais pequeno, com bezels em cima e em baixo. As cores dos dois modelos também já foram sugeridas, desta vez pela própria empresa: no site japonês da Google, uma animação parece indicar que vão estar em branco, preto e verde-menta.

tecnologia
atualidade

No que toca ao tamanho dos ecrãs, ambos os telemóveis vão sofrer um upgrade. O ecrã do Pixel 3 deverá ter 5.5 polegadas, com uma resolução de 2160x1080 e 440 dpi. Já o 3 XL será OLED edge-to-ege e chegará a umas gigantescas 6.7 polegadas, fazendo dele um dos maiores smartphones de sempre - ultrapassando até o enorme Samsung Note 9. O crescimento perante o 2 XL não se fica apenas nas dimensões (este tinha 6.2 polegadas), mas também na resolução, de 2960x1440, ao passo que a geração anterior era de 2880x1440. Pensa-se também que a proporção de tela do Pixel 3 será de 18:9 e do 3 XL de 19:9, representando diferenças face à geração anterior, que tinha 16:9 para o Pixel 2 e 18:9 para o Pixel 2 XL.

Junto aos ecrãs, as câmeras também vão ser melhoradas. Se na face dos aparelhos estarão posicionadas duas câmeras frontais de 8.1 MP - uma delas com dupla abertura (modos em 1,8 e 2,2) e lentes wide-angle para selfies -, atrás ficará uma câmara traseira de 12.2 MP com laser autofocus. A quantidade e a qualidade das câmaras deverá ser igual para os dois modelos e, a confirmar-se, a Google vai continuar a ser a única empresa Android a manter apenas uma câmara traseira para os seus modelos de topo, apostando mais na otimização do software para tirar boas fotografias em vez de investir no hardware. Para conseguir isto ajudará também a inclusão da segunda geração do Pixel Visual Core, o chip capaz de processar fotografias HDR+ e cujo antecessor foi um dos pontos altos dos Pixel 2.

Outra grande novidade é o regresso do carregamento wireless, uma funcionalidade que a Google abandonou depois do Nexus 6, em 2014. A confirmar este rumor está o código do Android Pie e também um video onde um leaker coloca o telemóvel em cima de um carregador Qi e começa a carregar - não é de estranhar, pois também já se descobriu que a Google prevê a criação do Pixel Stand, uma dock para colocar os novos Pixel a carregar via wireless. Assim sendo, a parte de trás dos Pixel deixará de ser em metal, passando a ser em vidro ou em plástico: as revelações demonstram que as traseiras do Pixel 3 terão dois terços em plástico preto com acabamento matte e o terço de cima revestido de vidro. Ambos os modelos terão também um sensor de impressões digitais nesta zona do telemóvel.

Para além de revelar todas as características do Pixel 3 XL, o vídeo do unboxing também demonstrou que os novos Pixel poderão vir já com Pixelbuds, headphones cuja ligação será feita ao telemóvel através da entrada USB-C dongle. Como já foi sugerido, ambos os Pixel 3 e 3 XL deverão vir já com o sistema operativo Android Pie, que não só promete um funcionamento mais estável, como também vai ter melhorias ao nível do assistente de voz e da possibilidade de jogar multiplayer em realidade aumentada.

Quanto a “specs” de performance, a RAM de ambos telemóveis manter-se-á idêntica à geração anterior, 4GB (também se fala em 6GB para o XL), mas o processador sofrerá um upgrade. Ao passo que os Pixel 2 tinham um Snapdragon 835, a Google vai munir os seus novos telemóveis com Snapdragon 845, o mais recente lançamento da Qualcomm no que toca a processadores octa-core. A capacidade base de armazenamento do Pixel 3 XL vai estar nos 64 GB, igual ao 2 XL, podendo também haver uma versão de 128 GB, ao passo que o Pixel 3 vai-se ficar pela primeira modalidade.

Aquela que parece ser a maior falha dos Pixel é a bateria: o Pixel 3 vai sofrer uma melhoria para os 2,915 mA mas o Pixel 3 XL está a defraudar expetativas com a bateria de 3,430 mAh, já que a do 2 XL era de 3,520 mAh. Este downgrade pode ser um motivo de preocupação, já que, com um ecrã ainda maior, adivinhava-se que este smartphone necessitasse de mais, e não menos, capacidade.

tecnologia
atualidade

Black Friday sem Google Pixel? Sem problema

Tudo isto pode ser fogo de vista para nós, portugueses, pois não está previsto um lançamento dos Pixel no nosso território. Mas com o aproximar da Black Friday, outros modelos oferecem alternativas interessantes. O Galaxy Note 9 é o mais poderoso smartphone que a Samsung já lançou e a Apple acaba de demonstrar 3 dos seus novos iPhone, desde o mais acessível iPhone XR ao topo de gama iPhone XS Max. Não faltam opções, portanto.

Produtos Comparados

Limpar Tudo

×
Utilização de cookies:Ao continuar a sua navegação está a consentir a utilização de cookies que possibilitam a apresentação de serviços e ofertas adaptadas aos seus interesses.Pode alterar as suas definições de cookies a qualquer altura.Saiba mais aqui.