bullet journal
bullet journal
Produtividade
Work

Como fazer um
Bullet Journal

Estás a ver aquela agenda arrumadinha e bonitinha que aparece vezes sem conta no Instagram e no Pinterest? Não? Então tens o algoritmo de alguém desorganizado. Esta agenda chama-se Bullet Journal. O BuJo, na sua denominação mais carinhosa, foi criado pelo designer norte-americano Ryder Carroll, e consiste num “sistema analógico para registar o passado, organizar o presente e planear o futuro” - é um método simples, mas que parece difícil de explicar.

Apesar de necessitares de um caderno e de uma caneta, o Bullet Journal é, na sua essência, uma metodologia. É uma mistura entre uma agenda e diário que te ajuda a organizar os teus afazeres, mas o seu criador defende que faz mais do que isso: ajuda-te a perceber o porquê de estares a fazer certas coisas, para viveres com mais propósito e intenção - é “uma prática de mindfulness disfarçada de sistema de produtividade”.

Este sistema analógico (que, ironicamente, tem uma app, a Bullet Journal Companion) tem ganho cada vez mais adeptos no meio do universo tecnológico em que vivemos. Há quem defenda que o Bullet Journal ajuda a produtividade, a criatividade e a capacidade de reflexão, tudo coisas difíceis de atingir durante as vidas ocupadas que todos temos hoje em dia.

Segundo Ryder Carroll, este processo ajuda-te a ser produtivo, em vez de apenas ocupado. Se não sabes se o Bullet Journal consegue mesmo ser uma ferramenta de produtividade, em vez de mais uma distração ou maneira de procrastinar, desafiamos-te a experimentar e decidires se funciona para ti.

Intrigado? Estes são os primeiros passos do método Bullet Journal:

1. Pega num caderno e caneta à tua escolha e abre a primeira página - aqui vais escrever o índice.

2. As páginas seguintes são dedicadas ao “future log” (uma visão geral dos próximos 6 meses), ao “monthly log” (uma visão mais pormenorizada, com todos os dias do mês e da semana e com as tarefas que tens para esse mês) e, finalmente, ao “daily log” (como o nome indica, são páginas dedicadas ao teu dia-a-dia). E é aqui que entra uma parte crucial, que dá nome a este método: as bullets (em português não existe uma palavra específica, mas é o que chamaríamos de travessão, o símbolo que utilizamos antes de listar tarefas).

3. O criador do Bullet Journal criou uma “linguagem” específica para o método, apelidada de “rapid logging” (qualquer coisa como catalogação rápida, em português). Cada entrada no teu registo diário pode pertencer a uma de três categorias (as tais bullets): tarefas (indicadas com o símbolo do ponto), eventos (simbolizados por um círculo) e notas (ilustradas por um travessão).

Ideias para um Bullet Journal

Na sua origem, o Bullet Journal pretendia ser uma maneira rápida e prática de organizar a tua vida, em que não importava muito se riscavas e rabiscavas as páginas. Agora, existem cada vez mais variações. E uma delas, com a ajuda de Instagram e Pinterest, tem evoluído para uma vertente visual mais elaborada. Desenhos complexos, letterings minuciosos e diferentes cores e canetas.

Quer prefiras um estilo mais minimalista e prático ou um Bullet Journal que te faça soltar o artista dentro de ti, aqui ficam algumas ideias:

Registo de livros lidos: a paixão por papel e por ler andam de mãos dadas. Continua na vertente analógica e, sempre que acabares um livro, anota e pinta essa secção - vais poder ter um tracker visual dos livros que lês durante o ano!

Registo de filmes vistos: a instagrammer its.stefh criou esta ideia para todos os cinéfilos - desenha “pipocas” que simbolizam filmes e vai colorindo-as à medida que fores vendo os filmes.

Anotar memórias: e que tal um momento de reflexão no final de cada mês para anotares as memórias positivas dos últimos 30 dias?

Registo de filmes vistos: a instagrammer its.stefh criou esta ideia para todos os cinéfilos - desenha “pipocas” que simbolizam filmes e vai colorindo-as à medida que fores vendo os filmes.

Círculo dos aniversários e férias: com esta ideia nunca mais te vais esquecer de datas importantes.

Capas mensais: provavelmente já viste imagens destas espalhadas pelo teu feed do Instagram… dá asas à tua imaginação e cumprimenta o novo mês com um pequeno desenho.

Canetas e Cadernos para Bullet Journal

É verdade que uma determinada caneta ou aquele caderno não vão tornar o teu Bullet Journal “melhor”, mas… podem ajudar-te a começar e a ganhar entusiasmo e inspiração!

As canetas Faber-Castells são clássicas - de boa qualidade e deslizam muito bem no papel. O mesmo se pode dizer das Stabilo, a marca dos icónicos marcadores fluorescentes - aqui, a dificuldade é escolher entre canetas com cores ou as simples de tinta azul ou preta. A completar o trio das marcas clássicas temos as Staedtler, que têm pontas de grossuras diferentes, umas ideais para desenhos mais minuciosos e outras para linhas mais a “negrito”.

No que toca a comprar cadernos para o Bullet Journal, qualquer um pode servir, depende apenas das tuas preferências - com riscas, pautado, com pontos ou liso, é à vontade do freguês. Finalmente, se quiseres fazer um upgrade, junta ao teu estojo de Bullet Journal uma régua, lápis de cor ou post-its. E, a partir de agora, é tudo obra da tua mente e da tua criatividade!

Produtos Comparados

Limpar Tudo

×
Utilização de cookies:Ao continuar a sua navegação está a consentir a utilização de cookies que possibilitam a apresentação de serviços e ofertas adaptadas aos seus interesses.Pode alterar as suas definições de cookies a qualquer altura.Saiba mais aqui.