Tudo sobre a carreira de Beyoncé

Beyoncé – a artista feminina mais importante do séc. XXI


Musa da pop e do R&B, Beyoncé alcançou a fama com um dos grupos femininos de maior sucesso de todos os tempos, a girlsband Destiny’s Child. Prelúdio da sua enorme carreira de sucesso, o lançamento do primeiro álbum a solo “Dangerously in Love” confirmou o já esperado. Mas é com o álbum duplo “I am… Sasha Fierce” que se fica a conhecer uma nova faceta da estrela pop, desvendada pelo “confronto” de Beyoncé com o seu alter ego “Sasha Fierce”. O lançamento de Lemonade, em 2016, apresenta uma Beyoncé com uma identidade definida, madura, e sem máscaras. Com a conquista de 22 Grammy Awards e a venda de mais de 100 milhões de discos, a Queen B é uma das artistas femininas mais importantes do século XXI.


/i/cfc8cc4e8a6485586009e2dcde6b447c115e0cd3

10 anos do álbum “I Am… Sasha Fierce”


Há 10 anos atrás estava a ser lançado o terceiro álbum de Beyoncé, “I Am… Sasha Fierce”, que marcou a carreira da Queen B revelando a sua versatilidade artística. Num álbum duplo, o “I am…Sasha Fierce” revelou o seu alter ego. O disco “I am…” que consistia numa Beyoncé mais introspetiva e em músicas mais calmas, como os sucessos "If I Were a Boy" and "Halo." E o “Sasha Fierce”, a sua persona, a que interpreta em palco. Um alter ego mais sensual, mais glamoroso, mais agressivo e mais confiante, que ficou conhecido pelos singles "Single Ladies," "Diva," and "Sweet Dreams." O sucesso foi tanto que o álbum duplo venceu 5 categorias nos Grammys, teve 4 singles no Top 10 da Billboard Hot 100 e vendeu mais de 7 milhões de cópias em todo o mundo. O lançamento de dois álbuns diferentes, mas que se complementam, foi um risco muito elevado que Beyoncé decidiu tomar. O sucesso foi óbvio, permitindo a Beyoncé testar novos rumos e sons, desde sintéticos pop ao R&B alternativo, transformando-o num álbum atemporal.



A ascensão da Queen B


Nasceu a 4 de setembro de 1981 em Houston, no Texas. Começou a cantar e a participar em concursos de talentos com apenas oito anos, acabando por fazer parte do grupo Girl's Tyme em 1990. Em 1995, com o pai, Mathew Knowles, como manager, o grupo Girl’s Tyme foi reduzindo a quatro elementos e iniciou o seu percurso profissional. Começaram a gravar o primeiro álbum para a Columbia Records em 1996 e alteraram o nome para Destiny’s Child. Foram Kelly Rowland e Michelle Williams que constituíram o trio em conjunto com Beyoncé nos anos seguintes de maior sucesso. Tornaram-se num dos grupos mais populares dos EUA com o lançamento do primeiro disco, homónimo. Seguiram-se outros sucessos mundiais como "Independent Women", "Survivor" e "Bootylicious".

Lançaram o quarto e último disco em 2004, "Destiny Fulfilled". A revista Billboard classifica o grupo como um dos maiores trios e como o nono artista/ banda mais bem-sucedido dos anos 2000, tendo sido nomeadas para 14 Grammys. O grupo Destiny's Child já vendeu mais de sessenta milhões de discos em todo o mundo.


/i/6297857810d8047d41767b9af619193fdac00afc