viver sem plástico
girl power
Mundo
Sociedade

A Importância de Educar Mulheres
e Jovens Mulheres

A importância de educar mulheres e jovens mulheres é um assunto que diz respeito a todos, já que raparigas com mais educação resultam em famílias, sociedades e países mais prósperos. Um futuro melhor passa, então, por acabar com a discrepância na educação entre rapazes e raparigas.

O direito à educação não devia ser determinado pelo género mas, segundo a UNESCO, no mundo inteiro 130 milhões de raparigas entre os 6 e os 17 anos não vão à escola e 15 milhões de meninas com idade para estar na escola primária - metade delas na África subsaariana - nunca vão entrar numa sala de aula.

Conseguir que raparigas entrem e permaneçam na escola é crucial para erradicar a pobreza mundial, diz-nos o World Bank, na medida em que mulheres com mais anos de educação são tendencialmente mais saudáveis, têm uma maior participação no mercado de trabalho formal e transmitem esse conhecimento e saúde à geração seguinte. Juntos, estes fatores contribuem para que famílias, comunidades e países acabem gradualmente com a pobreza.

Mas quais são os principais impedimentos de uma rapariga ir à escola?

• Casamento infantil

Todos os anos, segundo a Girls Not Brides, cerca de 12 milhões de raparigas com menos de 18 anos casam-se. Isto significa 23 raparigas por minuto. Ou quase 1 a cada 2 segundos. O casamento infantil viola o direito das raparigas à saúde, educação e oportunidade, além de, tendencialmente, as expor a violência ao longo de toda a vida e de as "prender" num ciclo de pobreza.

É um assunto realmente complexo, mas por norma está relacionado com pobreza, falta de instrução, práticas culturais e insegurança (muitos pais temem pela segurança física, sexual e económica das suas filhas, por isso optam pelo casamento como uma maneira de mantê-las seguras).

• Saúde menstrual

Em muitos países em desenvolvimento, o início da menstruação é uma das maiores causas para as raparigas deixarem de ir à escola. A falta de casas de banho separadas por género, a inexistência de produtos de higiene feminina e a pouca compreensão por parte dos colegas são fatores dissuasivos para as raparigas. Por outro lado, a falta de informação cria vergonha e medo, o que também contribui para o isolamento destas meninas.

•Segurança nas escolas

Se colocar raparigas na escola já é difícil, mantê-las lá pode ser um obstáculo igualmente difícil, já que a violência baseada no género é uma realidade nas escolas - as alunas são, diz o The Guardian, muitas vezes, alvo de assédio e pressão para terem relações sexuais com os professores em troca de boas notas.

Também muitas raparigas acabam por nem sequer ter acesso a educação formal por viverem em zonas remotas, longe da escola mais próxima.

As raparigas e as mulheres são uma peça central na luta contra a erradicação da pobreza. Diversos estudos provam que uma mulher com mais educação tem melhor saúde reprodutiva, isto é, mulheres que têm menos filhos, que têm gravidezes mais saudáveis e que são capazes de influenciar o uso de métodos de planeamento familiar.

Num panorama mais global, a educação não beneficia apenas as mulheres, uma vez que mulheres instruídas contribuem para que se quebre o ciclo de pobreza de uma geração para a outra; completar mais um ano de ensino secundário aumenta por si só os salários em 25%. E, finalmente, se nenhuma destas razões bastar, educar raparigas fortalece economias, diz a Forbes: quando as jovens mulheres prosseguem os estudos, têm também mais hipóteses de ter um melhor trabalho e, assim, aumentar o rendimento da família e, portanto, da sua comunidade e do seu país.

Mundo
Sociedade

Corações Com Coroa e o Código DáVinte

Com o lema “Apoiar uma mulher é apoiar uma família, uma comunidade, um país”, a associação Corações Com Coroa atua em variadas frentes com o objetivo de promover uma cultura de solidariedade, igualdade de oportunidades e inclusão de pessoas em situações de vulnerabilidade, risco ou pobreza.

Um dos projetos da organização presidida por Catarina Furtado passa por atribuir bolsas de estudo a jovens do sexo feminino que, tendo sucesso escolar, enfrentam diversos constrangimentos que dificultam a sua progressão nos estudos. Este ano, o projeto de responsabilidade social da Worten, o Código DáVinte, junta-se a esta associação para ajudar alunas com potencial, mas com dificuldades socioeconómicas, que querem continuar a estudar e a lutar por um futuro melhor.

Para contribuir para esta causa, tem apenas de se dirigir a uma loja Worten ou ir a Worten.pt e passar o código solidário, que pode ser de 0,20€, 1€, 2€, 3€ ou 5€ - o que for possível contribuir, desde que múltiplo de 0,20€.
Contamos consigo?

Produtos Comparados

Limpar Tudo

×
Utilização de cookies:Ao continuar a sua navegação está a consentir a utilização de cookies que possibilitam a apresentação de serviços e ofertas adaptadas aos seus interesses.Pode alterar as suas definições de cookies a qualquer altura.Saiba mais aqui.